Realize uma busca em nosso site.   Segunda-feira, 28 de Julho de 2014
Dados biográficos
Notas
Notícias comentadas
Estudos Jurídicos
Atividades Acadêmicas
- Cadastre-se
- Direito Tributário
- Direito Administrativo
- Direito Administrativo - FA
- Direito Comercial
- Direito de Empresa
- Sociedade Anônima
- Justifique sua falta
Atividades corporativas
Atividades profissionais
Destaques
Novidades
Dúvidas/Críticas/Sugestões
Memória jornalística
Memória da Faculdade de Direito da UFC
Memória da OAB
Ensino jurídico
Advocacia
Poder Judiciário
Ministério Público
Defensoria Pública
Procuradorias Estatais
Pesquisa
Debates
Forum
Curiosidades
Dicas
Biblioteca
Eventos
Artigos
AMENIDADES
Memória do IAC
PEÇAS JURÍDICAS
Carreiras Jurídicas
VISITANTES
Revista da Faculdade de Direito
TRIBUNAL DE ÉTICA DA OAB-CE
ICET - Instituto Cearense de Estudos Tributários
TRABALHOS DE ALUNOS
Consultas e Informações
Memoria do CBFD
Correspondência
E-mails
OAB/CE - TED - Votos
NETOS
OAB-CE Eleições 2009
MIGALHAS DA VIDA SOCIAL
CRONICA
DIREITO ADMINISTRATIVO 1 -SEMESTRE 2013/2
UFC-Memoria
DIREITO ADMINISTRATIVO - SEMESTRE 2010/2

EXERCÍCIO-4


EXERCÍCIO - 4

QUESTÕES EXTRAIDA DE CONCURSOS – INDICAR SER V(VERDADEIRO) OU F(FALSO)


1 - (ESAF/AGU/98) Quando a valoração da conveniência e oportunidade fica ao talante da Administração, para decidir sobre a prática de determinado ato, isto consubstancia na sua essência o mérito administrativo. ( )
2 - (ESAF/AGU/98) A nomeação de ministro do Superior Tribunal de Justiça, porque a escolha está sujeita a uma lista tríplice e aprovação pelo Senado Federal, contando assim com a participação de órgãos independentes entre si, configura a hipótese específica de um ato administrativo complexo. ( )
3 - (ESAF/AGU/98) O ato administrativo a que falte um dos elementos essenciais de validade é considerado inexistente, independentemente de qualquer decisão administrativa ou judicial. ( )
4 - (ESAF/AGU/98) O ato administrativo a que falte um dos elementos essenciais de validade goza da presunção de legalidade, até decisão em contrário. ( )
5 - (ESAF/AGU/98) O ato administrativo a que falte um dos elementos essenciais de validade deve por isso ser revogado pela própria Administração. ( )
6 - (ESAF/AGU/98) O ato administrativo a que falte um dos elementos essenciais de validade não pode ser anulado pela própria Administração. ( )
7 - (ESAF/AGU/98) A revogação é a invalidação do ato administrativo que se tornou inconveniente. ( )
8 - (ESAF/AFTN/98) Entre os elementos sempre essenciais à validade dos atos administrativos não se inclui o da condição resolutiva. ( )
9 - (ESAF/AFTN/98) A supremacia do interesse público sobre o particular justifica a adoção de atos arbitrários pela administração pública. ( )
10 - (ESAF/AFTN/98) A discricionariedade, característica do regime jurídico-administrativo, justifica o não-exame pelo Poder Judiciário, do mérito do ato administrativo. ( )
11 - (ESAF/AFTN/98) As restrições que limitam a atividade administrativa podem ser burladas mediante atos decorrentes do desvio de finalidade. ( )
12 - (ESAF/AFTN/98) Ato unilateral, discricionário, precário, intuitu personae e precedido de licitação. Este conceito refere-se à permissão. ( )
13 - (ESAF/ASSISTENTE JURÍDICO AGU/98) Quando a autoridade remove servidor para localidade remota, com o intuito de puni-lo, incorre em desvio de poder. ( )
14 - (CESPE/PAPILOSCOPISTA DA POLÍCIA FEDERAL/97) Não existe ato, mesmo praticado no exercício do poder discricionário, que seja totalmente deixado à discricionariedade do administrador. ( )
15 - (ESAF/ASSISTENTE JURÍDICO AGU/98) Quanto à extinção do ato administrativo, é correto afirmar: a anulação pode-se dar por ato administrativo ou judicial. ( )


Versão para imprimir.

Indique nossa página.
Seu Nome:
Seu E-mail:
Nome do Amigo:
E-mail do Amigo:

Página Inicial